MobiCascais é exemplo de mobilidade em Las Vegas

O MobiCascais foi apresentado neste mês na feira da CES, em Las Vegas, como referência de mobilidade integrada. O município está a ultimar uma proposta técnica para um corredor de autocarros na A5 enquanto investe em mais ciclovias e estacionamento tarifado

Cascais foi apresentada na semana passada em Las Vegas, numa das maiores feiras tecnológicas do mundo, como exemplo de referência internacional no domínio da mobilidade. Uma área que dominava, de resto, metade dos stands do certame da Consumer Technology Association, com a exposição de veículos, bicicletas elétricas de variados modelos, drones e soluções de conectividade aplicadas à mobilidade, entre muitas outras inovações.

Com o sistema MobiCascais, o município oferece uma proposta que integra comboios, autocarros, parques de estacionamento e bicicletas com um bilhete único, através do telemóvel e de aplicações móveis. O número atual de utilizadores registados e ativos conta-se já em 7803, segundo a Câmara Municipal de Cascais.

Um modelo que o presidente da autarquia, Carlos Carreiras, apelida de “radicalmente novo”, não apenas pelos graus de liberdade que promove na mobilidade dos cidadãos, mas também pela economia que gera e pela colocação da tecnologia ao serviço das pessoas. Um ganho não menos importante, assinala, “é também a redução do congestionamento e das emissões de carbono”.

Outro grande passo no domínio da mobilidade pode estar a caminho. Carlos Carreiras não desiste da ideia de um novo corredor na A5 para autocarros entre Cascais e Lisboa e revela que “está a ser ultimada uma primeira proposta técnica para análise e discussão” desse projeto.

Nesta fase, o modelo BRT (Bus Rapid Transit), inspirado nas cidades mais sustentáveis da Europa, como Helsínquia ou Dublin, é ainda uma possibilidade em estudo por Cascais e Lisboa (e em breve também Oeiras). “A Câmara de Cascais há muito que vem estudando o modelo BRT para a A5, não só pelo grau de obsolescência da ferrovia como pela saturação da A5”, diz Carlos Carreiras, acrescentando que “uma das zonas mais pujantes do país em termos económicos, demográficos e turísticos – o eixo Lisboa-Oeiras-Cascais – não pode ter a sua mobilidade absolutamente estrangulada”.

Para abranger o maior número de munícipes, a autarquia apostou na criação dos pacotes de mobilidade, em que por 20 euros mensais é possível utilizar os BusCas (autocarros), as BiCas (bicicletas) e estacionar nos parques MobiCascais. Foram ainda criados tarifários compostos para integrar diferentes operadores de transporte.

Neste momento existem cerca de 600 bicicletas de partilha disponíveis no município. E vão ter mais por onde pedalar. A autarquia tem em estudo a ciclovia urbana de ligação entre as quatros estações da CP de São João do Estoril a Carcavelos, um investimento que ronda os 1,5 milhões de euros. Entre outros projetos figura o corredor de transporte público no eixo de ligação entre a Parede e a Abóbada, uma obra de dois milhões de euros. “A prioridade é o reforço e requalificação da rede viária, na qual investimentos 70 milhões de euros nos últimos anos, e em novos parques de estacionamento.”


1 Comment

Leslie Uy · June 1, 2018 at 08:56

This is something I actually have to try and do a lot of analysis into, thanks for the post

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *